Metro de Lisboa investe 114 milhões em novos comboios e sinalização

* Texto publicado originalmente no site Dinheiro Vivo

Transportadora pública vai investir 114,5 milhões de euros na aquisição de novo material circulante e em novo sistema de sinalização ferroviária

O consórcio suíço-alemão Stadler/Siemens vai fabricar os novos comboios e modernizar o sistema de sinalização do Metro de Lisboa. Em causa está um investimento de 114,5 milhões de euros e que será executado durante mais de seis anos (prazo de 77 meses), anunciou a transportadora pública esta sexta-feira.

“O Metropolitano de Lisboa vai investir 114,5 milhões num novo sistema de sinalização ferroviária que inclui a aquisição de 14 novas unidades triplas (42 carruagens) ao Agrupamento Stadler Rail Valencia, S.A.U./ Siemens Mobility Unipessoal, Lda. A adjudicação foi aprovada hoje na sequência do concurso público internacional lançado em setembro de 2018. O prazo global do contrato é de 77 (setenta e sete) meses, contados após visto prévio do Tribunal de Contas”, refere a empresa em comunicado de imprensa.

Na fase final deste concurso público, a dupla Stadler/Siemens estava a concorrer com o consórcio entre os chineses da CRRC e os franceses da Thales. A CRRC e a Thales tentaram impugnar judicialmente este concurso, segundo adiantou a edição online do semanário Expresso no dia 30 de dezembro. Os chineses da CRRC venceram o concurso para fornecer os 18 novos comboios do Metro do Porto. Este investimento do Metro de Lisboa fica 12,5 milhões de euros abaixo do preço base deste concurso público, de 127 milhões de euros.

Além do fornecimento de 14 novas unidades triplas (42 carruagens), será instalado um sistema de controlo automático e contínuo nos restantes 70 comboios da frota do Metro de Lisboa e incorporadas funcionalidades de proteção automática dos comboios em toda a extensão das linhas azul, amarela e verde.

O contrato também inclui a “manutenção preventiva e corretiva de todos os equipamentos pelo prazo de três anos (extensível por mais dois anos) após a receção provisória [dos comboios], incluindo toda a mão-de-obra, peças sobressalentes e consumíveis”; formação técnica e fornecimento de outras peças, ferramentas e equipamentos de teste.

Segundo o Metro de Lisboa, a compra de novos comboios “vai melhorar a oferta de comboios e serviços do ML, permitindo mais conforto e acessibilidade para os clientes, bem como um sistema de comunicação com os clientes que vai permitir informação variável e flexível e sistemas de segurança e vídeo vigilância mais modernos”.

O anúncio do vencedor deste concurso público surge no mesmo dia em que o Metro de Lisboa admitiu que pode haver novos atrasos no concurso para as obras de expansão da rede e a criação da linha circular.