28/
11/
2018

MERCADO DE LUXO CRESCE NO MUNDO E PORTUGAL SE DESTACA NO SEGMENTO

 

Enquanto o mercado de luxo cresceu 11% no mundo inteiro, Portugal acelerou o ritmo e está hoje entre os oito países com mais vendas de imóveis de alto padrão, de acordo com o último relatório da Christie´s Internacional Real Estate, o braço imobiliário de luxo da famosa casa de leilões britânica. Em abril, Lisboa recebeu o maior evento internacional do luxo, a Condé Nast International Luxury Conference, com 500 profissionais do segmento vindos de diversos países. Especialistas calculam que este mercado já representa quase 5% do Produto Interno Bruto português, somando cerca de 9 bilhões de euros. Lisboa, Cascais e Sintra lideram as regiões em que o mercado de luxo se destaca, considerando o enoturismo, hotéis deslumbrantes, marinas, gastronomia, entre outros.

Segundo Helena Amaral Neto, coordenadora dos cursos dedicados ao universo do luxo do Instituto Superior de Economia e Gestão (Iseg), sediado em Lisboa, o motor dessa evolução do mercado de alto padrão nos últimos anos em Portugal foi o mercado imobiliário que, por sua vez, impulsionou o turismo. De acordo com a plataforma Luxury Estate, o valor médio dos imóveis vendidos no primeiro semestre de 2018 foi de 2,7 milhões de euros – sendo que no Algarve, a quantia chega a 4,7 milhões de euros. Depois dos portugueses, quem mais compra casas luxuosas na Terrinha são os brasileiros e os franceses.

“O crescimento do mercado de luxo tem forte impacto na dinâmica de diversos segmentos da economia, pois movimenta cifras volumosas e gera muitos empregos indiretos. Além disso, os imóveis de luxo de Lisboa ainda têm uma grande vantagem em relação a outras capitais europeias: o preço do metro quadrado é significativamente mais baixo do que o de Londres ou Paris, já que Portugal vem se recuperando de uma grave crise econômica. Por outro lado, isso significa que ainda há muito espaço para a valorização dos bens. Mesmo quem compra um apartamento de alto padrão para morar, está fazendo um investimento com perspectiva de ganhos em torno de 10% ao ano até 2023”, afirma César Damião, sócio-fundador da consultoria independente Global Trust (www.globaltrust.com.br) e da incorporadora Gallieta Trust, com sede em Lisboa.

Especializada em investimento imobiliário internacional, a brasileira Global Trust consegue entender exatamente o que seus clientes desejam, agregando o extenso conhecimento do mercado financeiro para transformar imóveis em ativos rentáveis que proporcionam retorno em euro. Por trabalhar de forma independente, seus consultores buscam o imóvel ideal no portfólio dos maiores incorporadores e das principais imobiliárias para atender às expectativas de cada cliente, seja com foco no Golden Visa, moradia ou investimento.

Já a Gallieta Trust tem em seu portfólio 13 projetos: uma casa de luxo no Monte Estoril e 12 prédios em Lisboa, entre prontos, vendidos, em aprovação ou em construção. A empresa atua principalmente com projetos de retrofit, que preservam a arquitetura original das fachadas, renovando e modernizando completamente o interior. É o caso dos mais recentes empreendimentos “Jardim das Taipas”, no Príncipe Real, “Jardins de Alcântara”, em Alcântara, “Guarda Mor”, em Santos, e “Salvador” e “Santo Estevão”, no bairro de Alfama. Em 2019, a incorporadora vai lançar dois novos projetos de alto padrão: “Ataíde 19”, no Chiado, e “Silva Carvalho”, junto ao Shopping Amoreiras. Estes empreendimentos terão unidades com até 3 quartos (T3) e valores entre 400 mil euros e 1,4 milhão de euros.

Dentre os empreendimentos disponíveis no mercado, um dos mais sofisticados de Lisboa é o SottoMayor Residências, com 97 apartamentos de até cinco quartos (T5), com até 220 m2, além de jardins, piscina e garagem. Com preços entre 790 mil euros e 1,3 milhão de euros, o projeto de retrofit praticamente ergueu um novo prédio, mas preservou características emblemáticas da construção original, de 1904, como pés direitos altos, pinturas e os tetos trabalhados. Já o Edifício Náutico, em Cascais, ainda está em construção e terá unidades de até três quartos (T3), com até 204 m2, e preços de 740 mil euros a 2,5 milhões de euros. Ambos ainda contam com algumas unidades disponíveis.