Forbes destaca Portugal como um dos melhores países para se viver

* Texto publicado originalmente no site Visão

Portugal foi eleito um dos países da Europa com melhores condições para acolher os estrangeiros que procuram uma segunda residência ou obter um passaporte europeu, num artigo publicado pela revista Forbes.

Para um cidadão estrangeiro, escreve a publicação, basta investir em Portugal para receber em troca o visto de residência e, eventualmente mais tarde, a cidadania do país. Existem várias opções para vários orçamentos. Pode, por exemplo, doar pelo menos 250 mil euros para apoiar a arte portuguesa, ou simplesmente provar que consegue cumprir o requisito de renda mínima — 1.200 euros por mês por pessoa. Contudo, se o visto lhe for atribuído desta forma, espera-se que esteja fisicamente presente no país pelo menos 183 dias por ano, enquanto que se se qualificar através de um investimento nas artes, ou seja, uma doação governamental, o requisito de presença física é de apenas sete dias anuais.

Os famosos Visto Gold também são uma opção para algumas carteiras. O critério para receber este tipo de visto é, mais uma vez, o investimento, que habitualmente é feito em imóveis. No entanto, é necessário investir uma quantia de pelo menos 350 mil euros, numa propriedade com mais de 30 anos, ou 500 mil euros, numa propriedade mais recente, para ficarem automaticamente qualificados para o visto de residência. Estes montantes podem sofrer uma redução de 20% se o imóvel for adquirido no interior do país. Para manter este estatuto de residência, os estrangeiros apenas precisam de estar 7dias em Portugal, durante o primeiro ano, e depois disso, 14 dias a cada dois anos.

Existe ainda uma enorme vantagem fiscal face a outros países, destaca a Forbes: a existência do regime de Residente Não Habitual que, pode significar em uma redução ou mesmo isenção de imposto sobre a sua renda auferida.

Para adquirir nacionalidade portuguesa, já não é tão simples, é preciso ter casa no país há pelo menos 5 anos e passar um teste todo em português sobre a história de Portugal.

Segundo o último Relatório de Imigração, Fronteiras e Asilo (RIFA), publicado o ano passado, houve aumento de 6% no número de estrangeiros a residir em Portugal em 2017 face a 2016, no total, foram contabilizadas 421.711 a viver legalmente no país.

Na lista de destinos aconselhados pela Forbes estão ainda Espanha, Montenegro, Malta, Letónia, Grécia e Chipre.

Back to top

Deixe uma resposta